• Microinversores para sistemas fotovoltaicos que geram mais energia

  • O microinversor surgiu como uma verdadeira inovação tecnológica no mercado de energia fotovoltaica e vem gradualmente substituindo os inversores convencionais de parede ou inversores string. Fundada em 2009 na região do Vale do Silício nos EUA, a APsystems é hoje a maior fabricante de microinversores do mundo, com sede nos EUA e fábrica na China.

    A função do microinversor é de transformar a energia elétrica de corrente contínua (DC) - produzida pelos painéis solares - em corrente alternada (AC), para sincronizar assim o sistema fotovoltaico com a rede elétrica local de uma forma mais inteligente, segura e eficiente em comparação aos inversores string.

    Cada vez mais presentes em sistemas fotovoltaicos em todo o mundo, desde pequenas até grandes usinas solares no mundo, os microinversores possuem inúmeras vantagens frente aos inversores convencionais de parede. Confira na tabela abaixo:

    INVERSORES CONVENCIONAIS DE PAREDE (STRING)

    MICROINVERSORES

    Operação do sistema em alta voltagem, entre 175V e 600V. Cabo de alta tensão para dentro da casa ou empresa do cliente.

    Operação com voltagem normal, onde a saída do sistema já é 220V. A conversão de alta tensão é feita no próprio painel, sem qualquer risco ou perigo ao usuário.

    Sombreamento, sujeira ou falha de um painel causa a queda de todo o sistema para o mesmo nível do painel afetado, provocando drásticas perdas de geração de energia.

    Quando um painel sofre qualquer interferência, todos os outros painéis continuam produzindo energia normalmente e de forma independente, sem qualquer perda de geração.

    Monitoramento do sistema como um todo, sem possibilidade de enxergar individualmente cada painel.

    Cada painel é monitorado individualmente e conectado ao sistema do fabricante, que identifica qual painel exatamente pode estar apresentando qualquer eventual deficiência.

    Dimensionados de acordo com a quantidade de painéis, limitando as opções de expansão.

    Sistema modular que permite adicionar novos painéis ao sistema com facilidade e sem alterações importantes no projeto, nem inutilização de qualquer equipamento.

    Todos os painéis precisam ter a mesma orientação e conectados como se fosse um só grande painel.

    A produção de energia é independente, permitindo que os painéis sejam instalados um a um, se alojando em diferentes partes do telhado/cobertura.

    Grande e pesado. Instalação interna, dentro da residência ou empresa.

    Pequeno e leve. Instalação externa, junto ao painel solar.

    Projetado para operar internamente, dentro de uma sala ou quarto reservado especificamente ao aparelho inversor.

    Projetado para operar com potência máxima à temperatura ambiente e ao ar livre até 65°C., em conformidade com classificação IP67, selado contra a entrada de água ou poeira.

    Garantia entre 5 e 10 anos, com necessidade de troca ou reparo por no mínimo 2 vezes, com custo adicional futuro ao cliente.

    Garantia de 25 anos, sem custo adicional algum durante esse período para o cliente.

    Produção de energia mais baixa.

    Produzem de 15 à 25% a mais de energia, pois são mais inteligentes e usam a tecnologia MPPT individual.

    Instalação complexa e demorada (obrigatoriedade do uso de ‘string box’ para proteção AC)

    Instalação fácil, mais rápida e com proteção e aterramento integrado (sem necessidade de ‘string box’) **

  • Em 2017, a Faculdade SENAI Ítalo Bologna de Goiânia, através do Instituto SENAI de Tecnologia em Automação fechou uma parceria com a WA SOLAR para o uso de microinversores e painéis solares para o desenvolvimento de uma bancada didática e de um projeto de pesquisa em energia solar fotovoltaica, com o objetivo de experimentar essa tecnologia com microinversores, que estima-se gerar de 15% a 25% a mais de energia, em comparação aos inversores convencionais de parede ou inversores string.

  • Manuais e Características Técnicas dos Microinversores APsystems

    Quer informações mais técnicas sobre os microinversores da APsystems?

    Faça a seguir o download dos manuais técnicos:

    1. Manual Técnico do microinversor modelo YC500
    2. Manual Técnico do microinversor modelo YC1000

    Observações Técnicas (Proteção) **

    O microinversor é instalado diretamente abaixo dos módulos fotovoltaicos, sendo os módulos fotovoltaicos conectados às entradas DC do microinversor, dispensando a utilização de DPS (dispositivo de proteção contra surtos) no circuito DC. O cabeamento CA por fase que é responsável por conduzir a corrente alternada produzida pelo ramo do microinversor até o ponto de conexão com o cabeamento CA principal é provido pelo próprio microinversor.

    A ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), em seu Despacho n.o 720, de 25 de março de 2014, dispõe sobre a não obrigatoriedade do uso de um dispositivo de seccionamento visível – DSV em instalações de micro e mini geração. Considera-se, portanto, que os mecanismos de proteção anti-ilha do inversor são suficientes para garantir a segurança do pessoal da concessionária trabalhando nas linhas de energia. O sistema de anti-ilhamento vem integrado junto ao microinversor, sendo de acordo com os itens do módulo PRODIST e NBR 16149, que define que o tempo máximo de operação em ilha seja menor de 02 (dois) segundos.

    Dessa forma, nos projetos de sistemas fotovoltaicos da WA SOLAR, uma vez que trabalhamos apenas com microinversores, não é necessária a utilização do DSV, que é composto por 01 (uma) chave seccionadora e 01 (uma) caixa de policarbonato com tampa transparente, instaladas no padrão de entrada da unidade, normalmente aplicável apenas em projetos em que se utilizam inversores convencionais de parede ou inversores string (** veja tabela comparativa acima).