• Microinversores APsystems para sistemas fotovoltaicos que geram mais energia

  • O microinversor surgiu como uma verdadeira inovação tecnológica no mercado de energia fotovoltaica e vem gradualmente substituindo os inversores convencionais de parede ou inversores string. Fundada em 2009 na região do Vale do Silício nos EUA, a APsystems é hoje a maior fabricante de microinversores do mundo, com sede nos EUA e fábrica na China.

    A função do microinversor é de transformar a energia elétrica de corrente contínua (DC) - produzida pelos painéis solares - em corrente alternada (AC), para sincronizar assim o sistema fotovoltaico com a rede elétrica local de uma forma mais inteligente, segura e eficiente em comparação aos inversores string.

    Cada vez mais presentes em sistemas fotovoltaicos em todo o mundo, desde pequenas até grandes usinas solares no mundo, os microinversores possuem inúmeras vantagens frente aos inversores convencionais de parede. Confira na tabela abaixo:

    INVERSORES CONVENCIONAIS DE PAREDE (STRING)

    MICROINVERSORES APSYSTEMS

    Operação do sistema em alta voltagem, entre 175V e 600V. Cabo de alta tensão para dentro da casa ou empresa do cliente.

    Operação com voltagem normal, onde a saída do sistema já é 220V. A conversão de alta tensão é feita no próprio painel, sem qualquer risco ou perigo ao usuário.

    Sombreamento, sujeira ou falha de um painel causa a queda de todo o sistema para o mesmo nível do painel afetado, provocando drásticas perdas de geração de energia.

    Quando um painel sofre qualquer interferência, todos os outros painéis continuam produzindo energia normalmente e de forma independente, sem qualquer perda de geração.

    Monitoramento do sistema como um todo, sem possibilidade de enxergar individualmente cada painel.

    Cada painel é monitorado individualmente e conectado ao sistema do fabricante, que identifica a performance individual e detalhada de cada painel.

    Dimensionados de acordo com a quantidade de painéis, limitando as opções de expansão.

    Sistema modular que permite adicionar novos painéis ao sistema com facilidade e sem alterações importantes no projeto, nem inutilização de qualquer equipamento.

    Todos os painéis precisam ter a mesma orientação e conectados como se fosse um só grande painel.

    A produção de energia é independente, permitindo que os painéis sejam instalados um a um, se alojando em diferentes partes do telhado/cobertura.

    Grande e pesado. Instalação interna, dentro da residência ou empresa.

    Pequeno e leve. Instalação externa, junto ao painel solar.

    Projetado para operar internamente, dentro de uma sala ou quarto reservado especificamente ao aparelho inversor.

    Projetado para operar com potência máxima à temperatura ambiente e ao ar livre até 65°C., em conformidade com classificação IP67, selado contra a entrada de água ou poeira.

    Garantia de 5 anos, com necessidade de reparos e substituições, gerando intervenções e despesas extras, tornando-o muito mais caro no longo prazo.

    Garantia padrão de 15 anos e extensível até 25 anos, sem custo adicional algum durante todo esse período de garantia para o cliente.

    Produção de energia mais baixa.

    Produzem de 15 à 25% a mais de energia, pois são mais inteligentes e usam a tecnologia MPPT individual.

    Instalação complexa e demorada (obrigatoriedade do uso de ‘string box’ para proteção AC)

    Instalação fácil, mais rápida e com proteção e aterramento integrado (sem necessidade de ‘string box’) **

  • Observações Técnicas sobre Proteção

    O microinversor é instalado diretamente abaixo dos módulos fotovoltaicos, sendo os módulos fotovoltaicos conectados às entradas DC do microinversor, dispensando a utilização de DPS (dispositivo de proteção contra surtos) no circuito DC. O cabeamento CA por fase que é responsável por conduzir a corrente alternada produzida pelo ramo do microinversor até o ponto de conexão com o cabeamento CA principal é provido pelo próprio microinversor.

    A ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), em seu Despacho n.o 720, de 25 de março de 2014, dispõe sobre a não obrigatoriedade do uso de um dispositivo de seccionamento visível – DSV em instalações de micro e mini geração. Considera-se, portanto, que os mecanismos de proteção anti-ilha do inversor são suficientes para garantir a segurança do pessoal da concessionária trabalhando nas linhas de energia. O sistema de anti-ilhamento vem integrado junto ao microinversor, sendo de acordo com os itens do módulo PRODIST e NBR 16149, que define que o tempo máximo de operação em ilha seja menor de 02 (dois) segundos.

    Dessa forma, nos projetos de sistemas fotovoltaicos da WA SOLAR, uma vez que trabalhamos apenas com microinversores, não é necessária a utilização do DSV, que é composto por 01 (uma) chave seccionadora e 01 (uma) caixa de policarbonato com tampa transparente, instaladas no padrão de entrada da unidade, normalmente aplicável apenas em projetos em que se utilizam inversores convencionais de parede ou inversores string (veja tabela comparativa acima).

  • Parcerias

    Em 2017, a Faculdade SENAI Ítalo Bologna de Goiânia, através do Instituto SENAI de Tecnologia em Automação fechou uma parceria com a WA SOLAR para o uso de microinversores e painéis solares para o desenvolvimento de uma bancada didática e de um projeto de pesquisa em energia solar fotovoltaica, com o objetivo de experimentar essa tecnologia com microinversores, que estima-se gerar de 15% a 25% a mais de energia, em comparação aos inversores convencionais de parede ou inversores string.